Skip to content

Políticas culturais na Galiza (da última década) (2)

10/05/2011

Grupo modernillo. Á pregunta de alguén, unha compañeira de traballo o outro día contestou iso, por teléfono. «Non sei, un grupo deses modernillos». Iso é o que se ve. Goberne quen goberne, todo vai aspirar a ser modernillo. Modernillo é a Cidade da Cultura, e as capas dos libros que se apoian, e as maneiras dos autores, e as montaxes escenográficas, e as novas dotacións urbanísticas, e os festivais patrocinados, e as iniciativas dos xacobeos, e traer o sónar e os africanos, e os emerxentes nos suplementos culturais. Modernillo fundaméntase en contra do antigo. Pero tampouco é Moderno, non o consegue. Tampouco o persigue. Só pretende parecelo. Ata a tradición é tratada así, énos trasladada así. A política cultural parece consistir en non parecer quedar atrás; en ser, da peor maneira, adolescente, xuvenil. En aparentar, por tanto. Nalgo simulacral: un é sepultado nun como se é.

Antonio Doñate

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: